Alagamentos em Marabá, Escola Geraldo Veloso em estado de calamidade e mais - Blog Endireitado

Breaking

Blog Endireitado

Para quem pensa Direito

9 de novembro de 2017

Alagamentos em Marabá, Escola Geraldo Veloso em estado de calamidade e mais


Marabá inundada

Na manhã desta quinta-feira (9), o cenário em Marabá era caótico. Sob ventos, trovoadas, muita chuva e diversos alagamentos pela cidade, a população precisou enfrentar muitos obstáculos para se mobilizar.

No núcleo Cidade Nova, os principais pontos de alagamento foram nas avenidas Boa EsperançaManausdas Castanheiras, assim como em várias ruas dos bairros Vale do Itacaiúnas e São Miguel da Conquista. Já na Nova Marabá, houve relatos de transbordamento na Grota Criminosa, no entanto, equipes da Prefeitura Municipal trabalharam no local para minimizar o problema.

Escola Geraldo Veloso em estado de calamidade

Na manhã de hoje, em consequência da tempestade que agraciou Marabá e os seus dois rios, Itacaiúnas e Tocantins, os alunos da Escola Geraldo Veloso encontraram a área interna da instituição de ensino em que estudam parcialmente inundada.

Não é a primeira vez que isso ocorre, tampouco a pior. Em 2015, além de inundações, os estudantes enfrentavam também a falta de energia elétrica.

Bem localizada, a área externa da instituição, "maquiada" no ano passado, é digna de escola particular. No entanto, a realidade de fora não é igual a de dentro. O laboratório de informática há muito tempo não recebe os alunos com frequência, isso porque falta manutenção nos computadores e nos demais equipamentos, e as oficinas que ocorriam por lá antes agora não ocorrem mais. Além disso, por falta de segurança, lâmpadas são furtadas corriqueiramente.

Paciente agride médico

Na tarde de ontem (8), um caso inusitado aconteceu no Centro de Testagem e Aconselhamento Herbert de Souza (CTA). Um paciente que faz tratamento no local, armado com um cabo de vassoura, invadiu o consultório e agrediu o médico Fernando Augusto Fonseca Monteiro, no momento em que assistia seus pacientes.

A situação não se agravou, pois uma agente patrimonial do CTA foi até o prédio anexo do Hospital Materno Infantil (HMI) e avisou aos guardas municipais o ocorrido, que conseguiram deter o meliante. Estarrecedor.

FONTE: CORREIO DE CARAJÁS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade única de seus autores e não representam a opinião deste canal de comunicação.