Redação — Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil - Blog Endireitado

Breaking

Blog Endireitado

Para quem pensa Direito

5 de novembro de 2017

Redação — Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil




Vinícius Vieira Soares, 16 anos, Marabá (PA)


“Desafios a serem superados

É consenso que os desafios para a formação educacional de surdos no Brasil são muitos, isto porque vivemos em uma sociedade ainda muito desigual e segregada. Dentre tantos motivos relevantes, temos o descrédito de muitas famílias com relação a membros portadores de necessidades especiais, em pauta os surdos, e a discriminação que estes sofrem no âmbito escolar.

O descrédito de muitas famílias com relação a familiares portadores de necessidades especiais, sem dúvida, afeta o emocional da maioria desses. Segundo dados recentes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC), as matrículas de surdos na educação especial vêm caindo a cada ano, gradativamente, desde 2011. Uma das razões para esta queda é, indubitavelmente, fruto da falta de apoio proveniente do lar.

Com efeito, outro fator lamentável também culmina com a baixa adesão dos deficientes físicos à educação especial, que é a discriminação que esses sofrem no ambiente escolar. A Lei nº 13.146, de 2015, infere que a educação de qualidade deve ser assegurada à pessoa com deficiência, colocando-a a salvo de toda forma de discriminação e violência. Não obstante, este direito não é efetivamente salvaguardado.

Fica evidente, portanto, que os desafios para a formação educacional de surdos no Brasil são variados e precisam ser superados. Cabe ao Ministério da Cultura (MinC) o desenvolvimento de campanhas publicitárias que vislumbrem a inclusão dos portadores de doenças auditivas nas escolas e nas universidades, e ao Estado fortalecer o ensino da segunda língua oficial do país, a Libras, nas instituições públicas e privadas a todos, como forma de garantir a coletividade do corpo social.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade única de seus autores e não representam a opinião deste canal de comunicação.